quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Bem-vindo, dezembro, e até 2019!


Nós estamos no último mês de 2018!

Parece que foi ontem que eu estava em janeiro pensando em como seria o ano.  Eu aprendi muito no ano de 2018! Desenhei cada vez mais, bordei e me desafiei a costurar peças mais elaboradas.  O que eu aprendi de mais importante neste ano foi não desistir e, principalmente, aprender com os erros.

A cada costura desfeita, desenho apagado e bordado refeito, eu aprendi algo novo.  Tive novas ideias e, no final do dia, eu tinha a certeza que apesar do caminho mais longo, cada experiência sempre vale muito a pena!

Este ano eu não farei a tradicional série de posts programados para o mês de dezembro, mas eu deixo aqui alguns links de posts antigos para quem não quer deixar de costurar durante o final do ano. =)




Eu desejo a todos um ótimo final de ano e nos vemos em 2019!

Obrigada pela companhia e até a próxima,

Thaís

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Costurinhas - Calça jeans clochard

Corte e costura - Calça clochard

Em outubro, eu recebi o e-mail de uma antiga e muito simpática leitora do blog me perguntando sobre calça clochard. Além de eu ficar muito feliz com o e-mail, eu adorei o modelo da calça e decidi costurar uma para mim!

Para essa calça eu não pensei duas vezes em usar jeans. Depois de ter costurado a minha primeira calça, costurar a segunda foi muito mais simples. Muito mais simples porque eu não tenho mais medo do tecido e entendi como ele se comporta.  Eu sei, por exemplo, que eu preciso de uma agulha mais grossa para fazer toda a costura e que deixar o tecido de molho na água antes de costurá-lo é fundamental para a peça não ceder depois de pronta.

Eu não conhecia esse modelo de calça, mas pesquisando um pouco, eu pude notar que ela é uma calça de cintura alta, com franzido na cintura, pernas afuniladas e normalmente apresenta uma faixa do mesmo material da calça.

Corte e costura - Claça clochard

Para costurar a minha calça, eu usei o mesmo molde que eu usei na calça mom jeans, com uma grande e importante alteração: a cintura. Como a calça clochard tem uma cintura franzida, eu deixei a cintura na mesma medida do quadril.  Essa decisão foi pensada não apenas no franzido na região da cintura, mas também no fato de que eu não colocaria zíper na calça.  Sem zíper, eu não teria como vestir a calça depois de pronta.

Corte e costura - calça clochard


A princípio, eu pensei em deixá-la sem elástico na cintura, mas eu mudei de idéia.  Para mim, o elástico deu o acabamento necessário à calça.  Eu acredito que o fato de eu ter usado jeans, um tecido mais estruturado, tenha contribuído para a minha decisão. Mas como ela tem uma faixa, eu considero isso uma escolha pessoal.

Apesar de eu ter usado jeans, um tecido mais informal, eu queria que ela ficasse com um ar mais “sofisticado”, então eu não usei a linha de pesponto e optei por bolsos invisíveis. A linha na mesma cor do tecido deixou a peça com um ar mais elegante.

Eu demorei cerca de uma semana para costurá-la e a maior dificuldade que eu tive foi o cós.  Eu quebrei três agulhas no processo, por isso, cuidado redobrado ao costurar várias camadas de tecido mais grosso.

Corte e costura - claça clochard

No final, valeu a pena toda a costura porque eu adorei minha nova calça!  Eu já a usei algumas vezes e é um modelo relativamente simples de costurar. Se você quer costurar sua primeira calça, este é um modelo que eu recomendaria. Ela não precisa de zíper, os bolsos são opcionais e ela fica soltinha no corpo, pontos que facilitam muito todo o processo.

Então? O que acharam da minha primeira calça clochard?

Até a próxima,

Thaís

Contos de Natal - Decoração natalina desenhada à mão e dicas para um Natal mais craft e criativo


Na última semana, eu recebi uma encomenda para fazer enfeites de Natal. O mais divertido de tudo é que eu teria carta branca para fazer o que a minha imaginação quisesse =)




A minha única certeza era que eu faria algo desenhado à mão.  Durante a escolha de materiais, a cortiça foi o material escolhido. O resultado foram simpáticas bolinhas de cortiça com imagens que remetem ao Natal!  Enfeites desenhados à mão com nanquim e tinta, para dar mais vida, com pequenos pontos de cor.  



Eu adorei o resultado!  Os enfeites ficaram diferentes e repletos de personalidade.  Para acompanhar os enfeites, eu fiz uma guirlanda no mesmo estilo: cortiça, tinta e nanquim.  A base foi feita com um bastidor de bambu e o laço feito com estopa e botões.

Dezembro é um mês que me faz pensar no ano que passou e a cada ano que passa eu penso mais no que significam as festas de final de ano.  Ganhar presentes é incrível, mas o que realmente estamos dando de presente? Comprar o que queremos é muito bom, mas o que nós queremos e precisamos de verdade?  

Eu fiquei muito feliz com essa encomenda! Não apenas por eu ter a oportunidade de fazer o que eu adoro fazer, que é criar, mas por me lembrar que é sempre possível tornar a nossa vida um pouco mais craft =)

Eu gostei tanto dos enfeites que eu decidi colocá-los à venda na Loja Landscape! Então, para quem gostou dos enfeites Contos de Natal, eles já estão à venda na Loja, para envio imediato até o final do ano.  

Antes de eu terminar o post, três dicas para quem quer deixar o seu Natal mais craft e criativo:

A loja Desde o tempo da vovó, com lindos itens em crochê. A Márcia, que já escreveu ótimas dicas de crochê para o Landscape, abriu recentemente uma loja on-line repleta de trabalhos manuais. Se você gosta de um belíssimo trabalho em crochê, não deixe de visitá-la.

Três coisas para fazer o seu natal mais autêntico e cheio de paz. Post muito interessante do blog Jardim do Mundo.

Está com vontade de fazer os seus próprios presentes? Uma lista de tutoriais bem legais aqui do Landscape.

Então? Vamos deixar o Natal um pouco mais craft?

Até a próxima,

Thaís

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Costurinhas - Minha primeira calça jeans gastando um pouco mais de R$ 25,00!

Corte e costura - calça jeans

Eu costurei a minha primeira calça jeans e só tenho que dizer o quanto eu fiquei feliz com o resultado!

Ela ficou pronta há algumas semanas e eu já a usei inúmeras vezes.  Como eu comentei nesse post aqui, eu costurei uma mom jeans (cintura alta, mais larguinha no corpo e levemente afunilada) e além de super confortável, vestir uma peça costurada por mim mesma sempre me dá uma grande satisfação.

Sinceramente, o processo foi mais simples do que eu esperava.  A parte que demandou mais cuidado em todo o processo foi a colocação do zíper. Fora isso, toda a costura ocorreu de forma bastante tranquila.  

Corte e costura - calça jeans
Calça depois de algumas semanas de uso =)


Usar a linha de pesponto fez uma grande diferença no resultado final. Ela dá o acabamento que uma peça feita com jeans precisa. O resultado fica com um ar profissional. Costurar uma peça e ter esse tipo de resultado é uma experiência muito bacana.

Outro ponto importante foi o tecido. Eu comprei um tecido jeans, 100% algodão.  Depois de dois dias de uso, o jeans cedeu, ou seja, eu tive que fazer pences na cintura.  Isso é um fator a ser pensado na hora de costurar a sua peça com jeans.

Corte e costura - calça jeans
Calça recém costurada, sem pences

Uma solução para esse problema é deixar a peça de molho antes de costurá-la. Basta colocar o tecido de molho em água limpa por 30 minutos e deixar secar antes de costurá-lo.

Por fim, eu fiquei surpresa com o rendimento do jeans. Para a calça, eu utilizei um pouco mais de meio metro de tecido. Eu sou uma pessoa de estatura pequena, mas mesmo assim, com um metro de tecido com 1,60 de largura, eu consegui fazer uma calça jeans gastando um pouco mais de R$ 25,00 em material (tecido, agulha para jeans, linha e linha para pesponto).

Costurar essa calça me fez pensar um pouco no custo e benefício do que compramos.  Será que tudo o que compramos vale realmente o preço ? Ou melhor, será que tudo o que compramos tem a qualidade e o cuidado que o preço indica?

Esse pensamento tem passado muito na minha mente ultimamente.  Costurar minhas próprias roupas me faz pensar na origem de cada peça e no seu destino e me fez valorizá-las e aprender a cuidar muito bem delas.

Corte e costura - calça jeans

A cada dia eu me sinto mais feliz por ter tomado a decisão de aprender a costurar!  Hoje eu posso dizer que costurar, para mim, é sinônimo de liberdade =)

Até a próxima,

Thaís

Para saber mais

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Uma pequena reflexão sobre roupas e a importância de criar.

Bordado e bastidores Thaís Melo

Como eu já comentei algumas vezes, a minha motivação em aprender a costurar foi uma insatisfação por não achar uma calça jeans do jeito que eu queria.  Desde então, costurar, para mim, passou a ser mais do que um hobby ou uma profissão (eu sou artesã), mas uma maneira de me expressar.

Hoje eu visto o que eu realmente gosto e sentir isso é incrível!  Eu ainda compro roupas, mas hoje eu penso muito mais no que eu quero e não no que me é oferecido.  Liberdade seria a palavra exata para expressar o que eu sinto ao vestir o que eu quero, com o material que eu escolhi e no molde que eu criei.

Analisar um tecido, saber se vale a pena ou não comprar uma roupa e, principalmente, cuidar de cada peça são hábitos que fazem parte da minha vida.  Eu acredito que pelo fato de eu ter costurado a maioria das peças presentes no meu guarda-roupa, eu tenho um grande respeito por elas. Elas não são apenas roupas descartáveis, elas representam uma parte de mim. Representam uma parte da minha história e contam ao mundo um pouco de quem eu sou.

Por esse motivo, eu tenho um imenso respeito por todo o trabalho manual! Um respeito por quem dedica tempo e energia a criar algo. Seja uma roupa, uma peça em crochê, uma música, um desenho ou simplesmente fazer uma planta florescer. Nesse mundo onde tudo é tão rápido e virtual, dedicar tempo para criar, para mim, é algo incrível. E algo que deve ser cultivado.

Por isso, deixo aqui esta pequena reflexão.  O que eu estou criando nesse mundo?  O que eu estou fazendo com o meu tempo? E principalmente: O que eu quero criar daqui por diante?

Até a próxima e uma ótima sexta-feira para todos!

Thaís

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Eu não sei costurar - Como transformar o molde base em molde base para malha.

Molde base de malha

Costurar malha sempre foi algo que me intrigou.  Existe muita peça em malha atualmente, mas por que costurar este tipo de tecido sempre foi um grande “tabu” para mim?

Hoje eu posso dizer que costurar malha não é o mesmo que costurar um tecido plano. Costurar malha é diferente e essa diferença você percebe na hora de fazer o molde.  

O molde base, que tanto falamos aqui no Landscape, deve ser adaptado na hora de costurar um tecido com elasticidade.

Antes de costurar uma peça com tecido com elasticidade é necessário verificar o nível de elasticidade do tecido (baixa, média ou alta) e, em seguida, multiplicar um valor às medidas de contorno (busto, cintura e quadril). Depois desse novo cálculo feito, o molde base é riscado como de costume, mas com esses novos valores.

Pesquisando um pouco sobre o assunto, eu encontrei mais de uma forma de testar a elasticidade do tecido, mas a que eu usei é o mesmo método encontrado no Grande Livro da Costura, chamado de Bitola.
Molde base de malha


Para fazer o teste é bem simples: Dobre mais ou menos a beirada do tecido em 5 cm na sua largura e, com o auxílio de dois alfinetes, meça 10 cm de distância.  Com a ajuda da fita métrica, puxe o tecido (sem forçar muito) e veja até onde ele estica. Com essa informação, podemos determinar qual o nível de elasticidade do tecido. Até 12 cm considera-se que o tecido tem baixa elasticidade, de 13 até 18 cm o tecido tem média elasticidade e acima de 18 cm o tecido tem muita elasticidade.

Depois do nível de elasticidade ser definido, basta fazer a seguinte conta para determinar as novas medidas para malha: multiplique 0.8 para muita elasticidade, 0.9 para elasticidade média e 0.95 para baixa elasticidade a todas as medidas de contorno, ou seja, busto, cintura e quadril.

Baixa Elasticidade
Até 12 cm
0.95
Média Elasticidade
13 cm até 18 cm
0.9
Muita Elasticidade
Acima de 18 cm
0.8

Eu deixarei todas as informações em uma tabela, para ficar mais simples de entender.

Não esqueçam que essas medidas serão feitas a partir da medida total e não na medida de ¼ da peça. Por exemplo: minha medida de quadril é de 91 cm. A minha medida de ¼ de quadril é 22.75 cm, arredondando, 23 cm. A minha medida de quadril para uma malha de média elasticidade será 91 cm x 0,9 = 81,9, arredondando, 82 cm. Portanto, a minha medida de quadril para um tecido elástico médio é de 82 cm. Para fazer o molde, eu divido esse valor por 4 (¼ de quadril) e o resultado é de 20.5 cm.

Como podem perceber, as medidas serão reduzidas. Existem tabelas e outras formas de calcular elasticidade e fazer moldes para malha e tecidos elásticos, mas esta foi a forma que eu mais gostei e a que tenho usado nas minhas experiências em costurar malha.

Uma observação importante: durante as minhas pesquisas pela internet eu li que não se usa pences em malhas.  Na hora de costurar a minha saia reta de neoprene, eu levei isso em consideração e, sinceramente, a informação procede. Como o tecido elástico é um pouco mais difícil de costurar, pelo menos para mim, costurar pences pode ser um problema. Então, considere isso na hora de riscar os seus moldes.

Eu tenho mais dicas sobre malha, mas isso ficará para os próximos posts =)

Eu espero que essas dicas ajudem a costurar tecidos elásticos e quem conhecer outra forma de fazer moldes, não deixe de comentar =)

Até a próxima,

Thaís

Para saber mais


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...